O Perdão Que Educa a Alma

Por que não darmos uma chance para a felicidade? E uma das formas de permitirmos que ela nos alcance é perdoando. Não há como nos abrirmos para o novo se estamos presos no passado, principalmente, quando ele nos lembra de dores, mágoas e rancores nos causados por pessoas. Estes são sentimentos limitadores, que... nos aprisionam em um estado emocional que nos leva a olharmos muito constantemente para trás e para os lados. Para trás porque estamos presos naquelas ocorrências infelizes e para os lados na tentativa de vermos se aqueles que nos ofenderam estão próximos o bastante para darmos "o troco". Quem caminha assim, olhando sempre para trás e para os lados, não avança nem conquista as novidades de vida nos horizontes futuros. A desconexão com este lugar comum de estagnação é o perdão. Não falo de perdão clichê, mas de perdão como fruto de uma atitude inteligente que reconduz os olhares para frente, direção de quem avança. Falo de um perdão educador de nossa alma. Quem avança só olha muito rapidamente nos retrovisores, pois seu foco está à frente. Perdão não é sentimento nem emoção. Perdão é fruto racional. É atitude de inteligência ao reconhecer que ficar remoendo as ofensas e "secando" o ofensor só trás doença emocional, física e espiritual. Não há de se esperar sentir para perdoar. Não há esperar se emocionar para ter condições de perdoar. Não espere brotar sentimento perdoador dentro de você porque seu gerador de sentimentos está doente de diversas formas. Há de se arregimentar forças neurais suficientes para conseguir articular as palavras: eu te perdôo! E repetir esta frase tantas vezes a lembrança da ofensa ou do ofensor for sofrível às recordações. Mesmo que as primeiras frases saiam guturais, como um rosnado ou coisa semelhante, mesmo se ao sair queimar a cabeça, o peito e a garganta não deixemos de falar: eu te perdôo! Pode até ser que o choro tente impedir a continuidade do processo e, se assim for, recomeçe-o até que consiga proferir a frase libertadora de si mesmo: eu te perdôo! Se for te confortar e animar um pouco, lembre-se: agindo assim você investe é em você mesmo, será para o seu próprio bem; em nada o ofensor e sua ofensa serão eximidos, mas caberá a D'US e à SUA ordem natural das coisas proporcionar o devido tratamento a quem tiver te ofendido - não você. Agindo assim você esvaziará seu reservatório interior e brevemente o teor de seus sentimentos mudará. Aqui você poderá concluir que o "bicho" não era tão feio assim, ou que a tal pessoa não foi tão má assim, ou até mesmo que você contribuiu de certa forma para o ocorrido e outras conclusões que nada mais são do que frutos de uma reflexão interior desprovida de dor íntima. E o passo seguinte é ver suas emoções e sentimentos serem tão curados e sarados pela frase "eu te perdôo" que nas próximas vezes que a proferir sentirá e se emocionará reconhecendo que seu perdão já é fruto de sua nova e mais alta estatura emocional, racional e espiritual. Você estará perdoando em gênero, número e grau como tão bem nos ensina o Senhor YESHUA HA MASHIACH (Jesus, O Messias)! Shalom!



Rabi Eder Pinheiro (Pastor e Profeta)
C.E.M - COMUNIDADE EVANGÉLICA MAKADESH
Porque todo o Plano de D'US em nossas vidas começa e continua com a santidade!