O pecado da Religiosidade e algumas de suas conseqüências


É impossível prestar um Culto racional a D'US, como é da vontade DELE, se a congregação peca por religiosidade. Este mal, o pecado da religiosidade, impede as pessoas de terem uma experiência viva e real com O ETERNO. Pois, torna suas mentes envoltas em um emaranhado dogmático e ritualístico que as distanciam da Essência Divina e as fazem facilmente impressionáveis. Conseqüentemente se tornam supersticiosos, fantasiosos, teatrais e adquiriem o péssimo vício do "argumento de crente" que é responder a tudo e a todos com versículos bíblicos, como se não tivessem opinião própria, manipulando a Palavra de D'US conforme seus interesses pessoais momentâneos. Pecadores religiosos são fantoches nas mãos de entidades demoníacas que as conduzem para envergonhar a Boa Doutrina de Cristo e a vivência da Tanach (Bíblia). Mas as conseqüências são maiores. Uma vez existentes, estes pecadores religiosos também permitem que falsos ministros, pregadores fanfarrões e charlatões da fé realizem suas maquinações, ensinem inverdades e sofismas e imprimam temor na congregação com falsos testemunhos, infundadas demonstrações de poder e mais uma série de abusos envolvendo falsas profecias, desonestas visões e fraudulentas revelações que levam a congregação a um frenesi emocional descontrolável que nada mais é que uma histeria coletiva. O pecado da religiosidade tem adoecido avassaladoramente igrejas inteiras, pessoas e ministros, é uma verdadeira epidemia de neurose religiosa. O absurdo é tanto que comumente se percebe genuínas práticas anímicas como em qualquer processo de incorporação, transe e êxtase mediúnico. O Culto a D'US, ou seja, O Cultivo das Coisas Sagradas, Santificadas e Divinas da Parte do D'US Altíssimo dispensa estas práticas religiosas mais comprometidas com o mundo espiritual inferior do que com o TRONO DE YAHWEH-ADONAI e com a Obra da Cruz de YESHUA! Os falsos ministros, também pecadores religiosos, se valem de tudo, seguros que não serão desmascarados, para envolverem suas congregações em fraudulentas manifestações do ESPÍRITO SANTO; este sim, é responsabilizado por todos os desatinos cometidos nestes lugares. O ESPÍRITO SANTO é responsabilizado pelas falsas visões, profecias e revelações mais inverossímeis, fantasiosas e confusas que se prestam a um único propósito: enganar o povo envolvendo-o em um engodo tido como espiritual. Tudo é jogado sobre o ESPÍRITO SANTO como se ELE estivesse promovendo os disparates. O pecador religioso assim recebe seu salário, desconhecendo a pessoa do ABA, distante da pessoa de YESHUA e alheia à pessoa do HUACK HA KODESH (Espírito Santo). Ele não se relaciona com ESTAS PESSOAS, mas sim com suas fórmulas prontas, com seus falsos mestres e com as manifestações de sua neurose psíquica onde qualquer sombra, qualquer som, qualquer sonho, qualquer folha caindo de uma árvore se torna um vaticínio divino em sua vida. Este pecado da religiosidade é tão grave que gera também a "feitiçaria evangélica", onde vemos ministros e membros lançando sentenças de maldição sobre desafetos, ameaçando seus semelhantes com supostos castigos divinos, realizando orações contrárias, julgando e mediando a todos e mais atitudes que demosntram o quanto estão doentes e necessitados de libertação e cura. 

Rabi Eder Pinheiro