Motivo do Tabernáculo

Um príncipe viajou de um país distante para casar-se com a filha única do rei. Quando quis partir com ela, o rei disse: "Não posso deixá-la partir, ela é minha filha única. Por outro lado, ela também é sua esposa, e não tenho o direito de detê-la aqui. Por isso, pedir-lhe-ei um favor. Construa um quarto extra para mim, onde quer que se estabeleçam; de maneira que eu possa viver perto de vocês!"
Igualmente, depois que D'us deu a Torá, Sua filha preciosa, ao povo judeu, pediu-lhes que construíssem um Tabernáculo (Mishcan), no qual Sua Shechiná (Divindade) residiria permanentemente na terra.
 
Três Parábolas: A que se Compara o Tabernáculo
D'us anunciou ao povo judeu: "Vocês são meu rebanho, e Eu sou o pastor. Assim como um pastor arma a tenda perto das ovelhas para cuidá-las, Eu desejo ter uma morada perto de vocês."
"Vós, o povo judeu, sois Meu vinhedo e Eu, D'us, o guardador do vinhedo. Aquele que cuida do vinhedo normalmente vive em uma choupana perto do vinhedo, de onde possa observá-lo para assegurar-se de que não entrem ladrões. Construam, pois, uma choupana para Mim junto ao vinhedo."
"Vós, o povo judeu, também sois meus filhos; e Eu, D'us sou vosso pai. É uma grande honra para os filhos viver em um lar próximo ao pai e também é uma honra para o pai viver perto dos filhos."
 
As Chaves das Três Parábolas
D'us é comparado:
1 - A um pastor
2 - A um vinhateiro
3 - A um pai
Por que não basta uma comparação? Por que é necessário haver três parábolas diferentes?
Na verdade, estes são três momentos diferentes da história do povo judeu. Em cada época, D'us manteve uma relação distinta com os judeus.
1 - Quando o Povo de Israel perambulou pelo deserto, D'us morava em um Tabernáculo parecido a uma tenda de pastor. Um pastor não vive em um lugar fixo. Segue o rebanho onde este vai para pastar e arma sua tenda perto das ovelhas para protegê-las e procurar-lhes comida.
Do mesmo modo, D'us "seguiu" o povo judeu pelo deserto. Como um pastor fiel, guardou-os dia e noite e estendeu Suas nuvens ao redor deles, e os alimentou com maná, aves, e água da fonte.
2 - Em Israel o rei Salomão construiu o Templo Sagrado para D'us, um edifício de pedra. Assim como o vinhateiro cuida do vinhedo, do mesmo modo D'us protegeu a Terra de Israel de todos os inimigos. Mesmo assim, o Templo Sagrado foi comparado apenas a uma "choupana" e não a um lugar permanente, pois não durou para sempre. D'us predisse que o Templo Sagrado continuaria existindo somente enquanto os filhos de Israel guardassem fielmente a Torá. Quando abandonaram as mitsvot (preceitos) de D'us, o Templo Sagrado, ambos o primeiro e o segundo, foram eventualmente destruídos.
3 - Quando Mashiach vier e D'us nos der o terceiro Templo Sagrado, esse será comparado a um "lar" - pois durará para sempre. Então todos verão que D'us é nosso pai e que somos Seus filhos.
 
Quando a Ordem da Construção do Tabernáculo foi dada
Apesar da mitsvá de construir um Tabernáculo ter sido decretada apenas depois do pecado do bezerro de ouro, a Torá a registra de antemão. As porções da Torá que lidam com o Tabernáculo, precedem o relato do pecado do bezerro de ouro.
Após o pecado do bezerro de ouro, Moshê (Moisés) implorou incessantemente que D'us perdoasse o povo judeu. Finalmente, conseguiu o perdão. Não obstante, Moshê não estava satisfeito, e indagou a D'us: "Como ficará evidente às nações do mundo que Tu realmente perdoaste Teu povo?"
"Que os filhos de Israel construam um Tabernáculo," replicou D'us. "Lá, oferecerão sacrifícios, os quais aceitarei. Esta será uma prova pública de Meu amor renovado por Meu povo!"
A Torá inverte a ordem cronológica dos acontecimentos a fim de ensinar-nos que D'us prepara o antídoto para uma falha mesmo antes desta ter sido realmente cometida. D'us previu o pecado do bezerro de ouro. Portanto, Ele arquitetou antecipadamente a idéia de construir o Tabernáculo.
Através do pecado, o povo judeu forçou a Shechiná a retroceder aos Céus. Por intermédio do Tabernáculo, contudo, a Shechiná poderia retornar à terra.
Comments