Mensagens‎ > ‎

SERVOS DO REINO

postado em 1 de jul de 2011 08:27 por Usuário desconhecido
Confesso que tenho dificuldades para entender algumas pessoas que colocam inúmeros impecilhos para fazerem a Obra de D’US. Tudo para elas é difícil, sempre demonstram má vontade e indisposição para realizarem algo para o Reino. Custam a fazer e quando por fim chegam a fazer alguma coisa sempre geram desentendimentos e conflitos com outras pessoas, reclamam de tudo e causam muito mal estar.
 
Este tipo de pessoas sempre acha que a responsabilidade em fazer alguma coisa cabe apenas aos sacerdotes e a elas cabe apenas o usufruir. Não consideram para si o encargo de co-participarem das realizações pertinentes ao ministério. Quando manifestam querer desenvolver certa atividade, não aceitam ajustes e querem que as coisas sejam segundo suas vontades e conceitos pessoais, mesmo em se tratando de assuntos ministeriais sobre os quais são meros aprendizes. Querem ditar as ordens, como se a elas isto dissesse respeito.
 
Também são cobradores contumazes quando fazem alguma coisa. Ou seja, sempre acham que D’US, ministros e ministérios estão lhe devendo pagamentos por alguma coisa que realizaram. Querem receber em troca e de imediato, não importa como, por qualquer coisa feita. O senso de serem servas é algo que este tipo de pessoas não consegue corresponder com docilidade e pureza de coração. Possuem dura cerviz e não estão dispostas ao aprendizado da humildade, da cooperação e da amizade.
 
Muitos ministros sofrem com a presença destas pessoas em seus ministérios. São dominadoras e manipuladoras tanto quando fazem alguma coisa, como quando nada chegam a fazer. Pois, se fazem querem que tudo esteja subordinado a elas, e quando não fazem, criticam severamente os que fazem e promovem levantes para desestabilizar o que está sendo construído. Causam muitas dores de cabeça aos ministros porque sempre estão envolvidas em conversas que descontroem e racham os vasos por onde se esvai o óleo da unção.
 
Por piores que sejam estas pessoas o panorama de suas desatitudes é bem no plano natural, ou seja, é mesmo fruto de suas personalidades e caráter mal formados e imaturos. Claro que os oportunistas espirituais se aproveitam destas pessoas aumentando nelas suas piores características de alma; elas se tornam joguetes nas mãos destes seres espirituais e, com isto, se prestam a servirem ao inferno. Aqui está um fator interessante. Elas se rebelam em serem servas no Plano Divino, mas por causa de suas más formações íntimas, docilmente se tornam servas de projetos malignos. Este é o alto preço pago por aqueles que não são instrumentos úteis nas mãos do ETERNO. Para ser boa ferramenta nas mãos do Carpinteiro, para ser bom instrumento nas mãos do Agricultor, é necessário primeiro ser maleável e se deixar moldar pelas mãos do Oleiro se tornando aquele que ELE quer que seja.
 
Este diminuir perante D’US é que nos torna grandes e esta lição já nos foi ensinada por YESHUA quando nos disse que aquele que quiser ser grande no Reino do PAI deve primeiro se tornar pequeno. Quem já é grande, cujo ego inflado não quer diminuir, não consegue passar pela porta estreita sinalizada por YESHUA.
 
Alguns ministros ficam tão inseguros na presença destas pessoas que acabam lhes confiando tarefas importantes e de destaque e não percebem que assim entram nas cirandas destas pessoas e de seus acompanhantes espirituais. É necessário resistir a elas (pessoas) em amor, pois precisam de um aprendizado muito especial de mansidão e humildade para se tornarem servos úteis nas mãos de D’US em favor de Seu Reino na terra. Suas almas precisam ser reeducadas e remoldadas de acordo com os Planos de D’US e, para isso, devem começar sem privilégios, sem destaques, a partir das tarefas mais básicas e longe dos olhares das pessoas para saberem que aquilo que fazem não é para o aplauso público, mas sim para a avaliação de D’US que as vê em secreto. Estas pessoas precisam aprender que suas mãos esquerdas não devem ver o que faz suas mãos direitas e vice-versa. Para este tipo de pessoas este é o princípio do desprendimento pessoal de si mesmas para começarem a adquirir as primeiras características pessoais de YESHUA: Aquele que veio para servir e não para ser servido, segundo as palavras d’ELE mesmo.

D’US abençoe e um grande abraço! 

Pr. Eder Pinheiro – www.comunidademakadesh.com
Comments