Mensagens‎ > ‎

A ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA DA FÉ

postado em 13 de ago de 2012 17:49 por Usuário desconhecido
ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA DA FÉ

Dia destes, conversando com um amigo, homem de fé e intelectual renomado, disse que não acredito que estamos passando por uma crise de espiritualidade. Pelo contrário, creio que as pessoas estão buscando cada
vez mais se conectarem com a espiritualidade que, como uma etérea cúpula, forma um arco indelével sobre o horizonte existencial de todos nós.

Percebo que a espiritualidade nunca mudou e não muda, entretanto as pessoas mudam e os meios para se conectarem com a espiritualidade também mudam. As pessoas mudaram, pois a cada dia a humanidade vai saindo de uma infância espiritual marcada por tantos dogmas, tantas manipulações e tanta nulidade de sua condição de ser inteligente dotado de atribuições que lhe permite perceber o espiritual sem detrimento de sua condição humana. Os meios de se buscar e de se conectar com o espiritual também passam por uma transformação porque, estando o homem mais cônscio de seu potencial, já não aceita tão passivamente as fórmulas ultrapassadas e fanfarronas que lhe foram teatralmente apresentadas como espirituais.

Rituais, cerimoniais, práticas exteriores, usos e costumes estão se quebrando para nunca mais serem colados. O homem não quer mais ser tratado como um animal, mesmo se o nome for de ovelha, na sua conotação tão deplorável que, na verdade, está anulando todos os atributos que o CRIADOR lhe deu e que o FILHO DE D'US veio e consolidou na vida de todo homem que a ELE se aliançar. Se o homem está saindo desta animalidade, conotativa - claro, então os currais religiosos estão sendo quebrados, então os fazendeiros religiosos também estão perdendo seus feudos. A escravidão da fé está passando pelo seu processo de abolição.

Não poderia ser diferente, afinal D'US e Seu Filho, em dois Testamentos Sagrados, deixam muito claro o grande amor, os altos pensamentos, a libertação e a preferência pela humanidade como obra prima da Criação. D'US não se contradiz. Portanto, a tentativa de alguns manipuladores usarem o argumento da religião para controlarem pessoas, o que vemos ao longo da história, um dia cairia mesmo por terra porque está contrário ao Caminho, à Verdade e à Vida a todos legado pelas ações do ETERNO.

Nunca se buscou tanto pela espiritualidade como se busca hoje. Mas quem hoje busca é um homem mudado, um homem melhorado que exerce sua inteligência e demais atributos de seu espírito no conhecimento do espiritual. Quem hoje busca a espiritualidade quer saber da integridade do meio, não se impressiona facilmente com as demonstrações teatrais das cerimônias e nem ouve passivamente os desvairios de locutores religiosos representando seus papéis como meros canastrões.

Singelas e sinceras atitudes como a de fechar os olhos, ou olhar para cima, entoar um cântico, respirar fundo e orar ao ETERNO com transparência e honestidade tem se tornado hoje uma postura praticada por aqueles que, esclarecidamente, tem buscado e encontrado a espiritualidade. Também são aqueles que ouvem palavras que se coadunam com a Verdade e possuem o respaldo de estudos sérios e fundamentados sobre os exemplos de outros que também buscaram e encontraram a espiritualidade. Isto nos arremete ao MESTRE dos Mestres, YESHUA, que assim agia com seus discípulos numa vivência leve e suave, porém sábida e consistente, dos atributos de D'US.

Falar de JESUS aqui não significa que estamos retrocedendo, nada disto; estamos avançado e muito! JESUS estava muito além de seu tempo e pode ser que hoje, finalmente, seja o tempo e possamos ter a condição de compreender e viver Sua sabedoria ímpar que nos levará a uma intimidade real com o PAI. JESUS falou a multidões, mas no final sobrou apenas pouco mais de uma dezena para propagar Sua sabedoria. Talvez este número, em figura de linguagem, aumente nos dias atuais. Se aumentar é porque este é o tempo de JESUS! Se não... ficará este tempo ainda para a posteridade!

Estamos penetrando no território de uma fé mais pura, menos contaminada, numa busca mais leve e suave e nem por isso menos impregnada de uma fé verdadeira, porém sem que para isto deixemos de ser os seres humanos que D'US nos capacitou para sermos, e para sermos este ser humano tão cheio de atribuições no contato com o Divino, não precisamos mais de teatros nem de circos religiosos, muito menos de atores, domadores e palhaços que nos distraiam com suas deploráveis atuações de segunda.

Queremos D'US e isto nos basta! Queremos JESUS para irmos ao PAI! Queremos o ESPÍRITO SANTO que nos foi deixado para nos ajudar em todas as coisas! Aceitamos caminhar com nossos semelhantes, que com vivências e experiências mútuas nos ajudarão a alcaçar nosso objetivo trino (D'US, YESHUA, HUACH), e aprenderemos de bom grado através daqueles que realmente exercerem seus sacerdócios conforme a ordem de Melquisedeque (este que existiu antes da religião), ou seja, santos e sábios por obra exclusiva de D'US.

Shalom!

Eder Pinheiro
www.comunidademakadesh.com
Foto: ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA DA FÉ   Dia destes, conversando com um amigo, homem de fé e intelectual renomado, disse que não acredito que estamos passando por uma crise de espiritualidade. Pelo contrário, creio que as pessoas estão buscando cada vez mais se conectarem com a espiritualidade que, como uma etérea cúpula, forma um arco indelével sobre o horizonte existencial de todos nós.   Percebo que a espiritualidade nunca mudou e não muda, entretanto as pessoas mudam e os meios para se conectarem com a espiritualidade também mudam. As pessoas mudaram, pois a cada dia a humanidade vai saindo de uma infância espiritual marcada por tantos dogmas, tantas manipulações e tanta nulidade de sua condição de ser inteligente dotado de atribuições que lhe permite perceber o espiritual sem detrimento de sua condição humana. Os meios de se buscar e de se conectar com o espiritual também passam por uma transformação porque, estando o homem mais cônscio de seu potencial, já não aceita tão passivamente as fórmulas ultrapassadas e fanfarronas que lhe foram teatralmente apresentadas como espirituais.   Rituais, cerimoniais, práticas exteriores, usos e costumes estão se quebrando para nunca mais serem colados. O homem não quer mais ser tratado como um animal, mesmo se o nome for de ovelha, na sua conotação tão deplorável que, na verdade, está anulando todos os atributos que o CRIADOR lhe deu e que o FILHO DE D'US veio e consolidou na vida de todo homem que a ELE se aliançar. Se o homem está saindo desta animalidade, conotativa - claro, então os currais religiosos estão sendo quebrados, então os fazendeiros religiosos também estão perdendo seus feudos. A escravidão da fé está passando pelo seu processo de abolição.   Não poderia ser diferente, afinal D'US e Seu Filho, em dois Testamentos Sagrados, deixam muito claro o grande amor, os altos pensamentos, a libertação e a preferência pela humanidade como obra prima da Criação. D'US não se contradiz. Portanto, a tentativa de alguns manipuladores usarem o argumento da religião para controlarem pessoas, o que vemos ao longo da história, um dia cairia mesmo por terra porque está contrário ao Caminho, à Verdade e à Vida a todos legado pelas ações do ETERNO.   Nunca se buscou tanto pela espiritualidade como se busca hoje. Mas quem hoje busca é um homem mudado, um homem melhorado que exerce sua inteligência e demais atributos de seu espírito no conhecimento do espiritual. Quem hoje busca a espiritualidade quer saber da integridade do meio, não se impressiona facilmente com as demonstrações teatrais das cerimônias e nem ouve passivamente os desvairios de locutores religiosos representando seus papéis como meros canastrões.   Singelas e sinceras atitudes como a de fechar os olhos, ou olhar para cima, entoar um cântico, respirar fundo e orar ao ETERNO com transparência e honestidade tem se tornado hoje uma postura praticada por aqueles que, esclarecidamente, tem buscado e encontrado a espiritualidade. Também são aqueles que ouvem palavras que se coadunam com a Verdade e possuem o respaldo de estudos sérios e fundamentados sobre os exemplos de outros que também buscaram e encontraram a espiritualidade. Isto nos arremete ao MESTRE dos Mestres, YESHUA, que assim agia com seus discípulos numa vivência leve e suave, porém sábida e consistente, dos atributos de D'US.   Falar de JESUS aqui não significa que estamos retrocedendo, nada disto; estamos avançado e muito! JESUS estava muito além de seu tempo e pode ser que hoje, finalmente, seja o tempo e possamos ter a condição de compreender e viver Sua sabedoria ímpar que nos levará a uma intimidade real com o PAI. JESUS falou a multidões, mas no final sobrou apenas pouco mais de uma dezena para propagar Sua sabedoria. Talvez este número, em figura de linguagem, aumente nos dias atuais. Se aumentar é porque este é o tempo de JESUS! Se não... ficará este tempo ainda para a posteridade!   Estamos penetrando no território de uma fé mais pura, menos contaminada, numa busca mais leve e suave e nem por isso menos impregnada de uma fé verdadeira, porém sem que para isto deixemos de ser os seres humanos que D'US nos capacitou para sermos, e para sermos este ser humano tão cheio de atribuições no contato com o Divino, não precisamos mais de teatros nem de circos religiosos, muito menos de atores, domadores e palhaços que nos distraiam com suas deploráveis atuações de segunda.   Queremos D'US e isto nos basta! Queremos JESUS para irmos ao PAI! Queremos o ESPÍRITO SANTO que nos foi deixado para nos ajudar em todas as coisas! Aceitamos caminhar com nossos semelhantes, que com vivências e experiências mútuas nos ajudarão a alcaçar nosso objetivo trino (D'US, YESHUA, HUACH), e aprenderemos de bom grado através daqueles que realmente exercerem seus sacerdócios conforme a ordem de Melquisedeque (este que existiu antes da religião), ou seja, santos e sábios por obra exclusiva de D'US.   Shalom!   Eder Pinheiro  www.comunidademakadesh.com
Comments