A Restauração do Ministério Levítico

Levita, para mim, é uma pessoa tão ajustada ao Coração de D'US, tão obediente à Tanach, tão seguidora do Caminho, tão cheia de bons testemunhos, tão carregadora de sua própria Cruz, tão íntima do HUACK HA KODESH que, de vez em quando, chega até a cantar e tocar músicas para D'US. E, quando espontaneamente chega a sua vez de incensar louvores a D'US, o faz de frente para o Altar, voltado para o Alto e recolhido à sua simples e humilde condição de adorador de YAHWEH-ADONAI. Ou seja, anula a si mesmo para que apenas a fumaça de seus louvores subam ao PAI, pois o que realmente lhe importa é a FACE DO ETERNO.

Diferentemente do "pop star gospel" que arregimenta uma legião de seus próprios fãs, colhidos pela suas agendas lotadas, o levita exerce o seu ofício santo na presença de D'US, quando tem oportunidade sem precisar de agendas, e o faz envolto na Glória e na Graça de D'U S levando as pessoas a se tornarem verdadeiros filhos do Verdadeiro PAI; verdadeiros adoradores de D'US em espírito e em verdade.

O levita exerce seu ofício santo na atmosfera espiritual do louvor e da adoração a D'US, enquanto o "pop star gospel" faz suas apresentações dentro do ambiente artístico dos seus shows, promovendo um frenesi e muita tietagem nos seus inúmeros fãs pessoais. Incrível, até fã-clube o "pop star gospel" possui, ou seja, em seu "ministério" ele é que está no lugar mais alto, no lugar de honra e em primeiro lugar perante seus muitos seguidores. 

Incrédulos observamos o inflado ego artístico expulsando e tomando o lugar do Chamado Levítico no coração de tantos homens e mulheres; pior, tomando o lugar de D'US em tantas vidas. 

Tenho muita dificuldade em compreender e aceitar tantas caras e bocas e tantas expressões faciais e corporais que o "pop star gospel" faz, em suas apresentações e shows, voltado para as câmeras, flashs, lentes e milhares de olhares fidelizados. Em contrapartida, não posso deixar de lembrar que a melhor posição para quem louva é de joelhos na presença de D'US e para quem adora é com o rosto no pó aos pés de ADONAI.

Também reflito sobre a controversa questão financeira, que tanto tem sido pedra de tropeço e mácula para a Noiva de YESHUA, e penso que o dinheiro das igrejas, oriundo licitamente dos dízimos e ofertas, devem ser honestamente aplicados no funcionamento das mesmas, em suas atividades ministeriais e sociais e no sustento de seus sacerdotes, o que está correto conforme a Tanach. Mas o que pensar da grandiosa soma de dinheiro arrecadado nos gingantescos shows, através da venda de ingressos, e na milionária indústria de CD's e DVD's nas mãos do "pop star gospel"? Afinal, onde, quando e como esta soma é aplicada uma vez que estes ditos "ministérios musicais" possuem registros próprios, com estatutos e contabilidades próprias completamente separados e independentes de qualquer igreja? Não é a posse do dinheiro por quem quer que seja que é incômodo, mas é a forma e o argumento usado para conseguí-lo que tanta estranheza causa. 

Não me lembro, também, da Tanach ter ensinado ao levita que ele deveria estender sua mão para autografar toda sorte de coisas como se isso tivesse algum valor, antes, me lembro de YESHUA ter ensinado, pelo Seu próprio exemplo, a estender a mão para tocar todos aqueles que sofrem para que fosse liberado sobre os mesmos as bênçãos de D'US. YESHUA não "autografou" nem mesmo um "rolinho" da Lei, não obstante Ele e o Autor serem um só.

Não vislumbro problema algum que o "pop star gospel" tenha sua carreira artística extremamente bem sucedida, que ganhe muito dinheiro, que seja um profissional totalmente realizado e até que tenha suas legiões de fãs e tietes, mas que tudo isto seja COMPLETAMENTE desvinculado do exercício sacerdotal levítico. Há uma diferença e distância abismais entre ser Sacerdote Levita e ser artista profissional do gênero gospel.

É fácil concluirmos que muitos são chamados para serem artistas, mas poucos, pouquíssimos são escolhidos por YAH para formarem Sua Tribo de Levi!

Uma coisa maior me entristece e fico indignado só de tentar imaginar para quais altares o "pop star gospel" estará conduzindo seus milhares de fãs e tietes que conhecem de cór dezenas de músicas, mas que nada conhecem da Tanach. 

Vendo um "pop star gospel" em ação, não consigo deixar de traçar uma analogia com a estória dos irmãos Grimm (ou de Robert Browning), sobre o flautista de Hamelim que, a troco de dinheiro, pegou e tocou uma flauta hipnotizando todos os ratos da cidade e os conduzindo ao rio Weser onde morreram afogados. Por sinal um flautista de estranhos sentimentos e reações. Lembram o que ele depois fez com os meninos e meninas da cidade de Hamelim? E tudo por causa do vil metal que era onde ele punha o seu coração!


Pastor e Profeta Eder Pinheiro
C.E.M - COMUNIDADE EVANGÉLICA MAKADESH
Porque todo o Plano de D'US em nossas vidas começa e continua com a santidade!